21 de outubro de 2012

Seca pode reduzir descontos na conta de luz. Confira!

A falta de chuvas neste ano promete encolher o desconto nas contas de luz em 2013. No mês passado, o governo anunciou um plano de revisão tarifária, que prevê a redução média de 16,2% nas contas residenciais e de até 28% para as empresas, graças a um corte de encargos e à renovação de concessões no setor. 

Mas, com a seca, o impacto no bolso dos consumidores e no caixa das companhias pode ser menor que o esperado. Nos últimos três meses, o nível dos reservatórios baixou muito, fazendo disparar o preço da energia no mercado livre, o que levou o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) a acionar as termelétricas. Como o custo de operação dessas usinas é mais alto que o das hidrelétricas, as distribuidoras deverão repassar, no ano que vem, esse aumento aos consumidores. 

O presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, diz que esse reajuste dependerá da intensidade do uso das termelétricas. Ontem, o governo acionou, pela primeira vez no ano, usinas movidas a óleo, para poupar os reservatórios do Nordeste. Até então, as térmicas em atividade eram somente a gás, que têm custo de operação mais baixo. 

Cálculos da consultoria PSR mostram que, de janeiro a julho, foram gastos R$ 118 milhões na ativação de térmicas, valor bem superior aos R$ 6,1 milhões empregados em todo o ano passado.

Valmir Andrade | Edição Matureia1.com