26 de outubro de 2012

Redução do IPI para carros é prorrogada até o fim do ano.

A presidente Dilma Rousseff (PT) anunciou nesta quarta-feira (24) que o governo vai prorrogar a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para veículos, que acabaria no dia 31 de outubro, até o final do ano. 

A declaração foi feita ao final de seu discurso no Salão Internacional do Automóvel, no Anhembi, em São Paulo. É a segunda vez que o governo prorroga a redução do benefício neste ano, que foi anunciada inicialmente em maio. Em agosto, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou a primeira prorrogação da redução do imposto, que, a princípio, venceria no dia 31 daquele mês. 

O corte do IPI depende da potência do motor e do local em que ele é produzido (se nacional ou importado). Para carros novos com motor de mil cilindradas (1.0) e fabricados no Brasil, que são os mais vendidos, a alíquota normal do imposto foi de 7% para 0%. Já para os importados com o mesmo tipo de motor, a alíquota foi de 37% para 30%.

Última prorrogação O ministro Guido Mantega afirmou, em entrevista em Brasília, que a prorrogação visa a assegurar que não haja aumento no preço dos carros no fim do ano e também a estimular os investimentos dos fabricantes de automóveis. Mantega ressaltou que essa, provavelmente, será a última prorrogação do IPI baixo para automóveis. 

A partir de janeiro do ano que vem, segundo anúncio do próprio governo federal, começa a vigorar o novo regime automotivo – que pressupõe o retorno do IPI aos patamares antigos. Para ter IPI menor, com o novo regime, as empresas terão que realizar investimentos em tecnologia, inovação e em eficiência energética, a exemplo dos carros que consumam menos combustíveis.

G1 | Edição Matureia1.com