13 de janeiro de 2012

A Primeira Sexta-Feira 13 de 2012

A primeira sexta-feira 13 do ano thumbnail
Para os supersticiosos, o dia 13 de janeiro é diferente dos demais. É que cai em uma sexta-feira… Quando a combinação acontece, a data torna-se agouro de má sorte. Ou de boa sorte. É o que explica o colunista do Portal novohamburgo.org, grão-mago Isaias.

Confira o texto que ele preparou sobre esta sexta-feira 13:

Em 2012, a sexta-feira 13 aparece três vezes no calendário, sendo a primeira neste mês de janeiro, em meio à lua cheia (período em que as coisas costumam acontecer em maior escala). A segunda será em abril, com inicio no primeiro dia do Quarto Minguante, e a terceira, no mês de julho, em meio à fase do Quarto Minguante, um período em que grande parte das atividades não se completa inteiramente.

A questão da sexta-feira 13 como dia de má sorte, segundo consta na literatura que trata sobre o assunto, teria origem nas escrituras sagradas, pois, quando se destaca a simbologia da desgraça, registra-se que eram 13 os participantes da última ceia de Cristo (12 apóstolos e Jesus, o 13º integrante, que morreu numa sexta-feira). O fato, conseqüentemente, fora ligado ao horror que o número 13 provocava nas gerações cristãs, aliado ao dia da semana.

Por outro lado, para alguns, a data é tida como símbolo de boa sorte baseada na numerologia, em que 1+3 = 4. O resultado representa persistência, trabalho e virtude.

Em termos gerais, existem várias argumentações que tornam a sexta-feira 13 um período especial, já que entre as lendas e superstições estão a da deusa do amor e da beleza na Escandinávia e a da mitologia nórdica.

GATO PRETO – A simbologia envolvendo gato preto se deve ao fato de que toda a bruxa ou bruxo costuma manter o felino por perto, durante suas ações, por haver o entendimento que este atrai para si as cargas negativas. Caveiras e outros representam uma substituição ou troca, simbolizando o ponto a ser atingido no momento da feitiçaria, de acordo com o propósito a ser colocado em prática. Nem todos, no entanto, se utilizam destes artifícios, optando por componentes da própria natureza, como ervas, galhos, plantas, pedras, entre outros, além do alho, que neste caso afasta o mal.

Por que azar?

Uma lenda diz que na Escandinávia existia uma deusa do amor e da beleza conhecida com “Friga” (que deu origem a “friadagr”, sexta-feira). Após a conversão das tribos nórdicas e alemãs ao cristianismo, a lenda transformou “Friga” em uma bruxa exilada no alto de uma montanha.

Em busca de vingança, ela teria organizado reuniões com outras onze bruxas e mais o demônio – totalizando 13 – para todas as sextas, para rogar pragas sobre os seres humanos. Esta superstição acabou se espalhando pela Europa e para o mundo.

Para a maioria das pessoas, é considerado um dia de azar, levando-se em consideração os fatos já citados e que originaram a questão. A princípio, não seria um bom dia para ações onde as decisões envolvam questões de importância ou relevância. Por via das dúvidas, seria melhor adiar por 24 horas os rumos a serem seguidos.

Como garantir proteção

Segundo a lenda, o dia seria destinado à ação de bruxaria pesada contra os seres humanos e para o lançamento de uma carga extremamente negativa. Portanto, qualquer feitiçaria neste dia causaria danos irreparáveis.

Existem várias formas de se garantir a proteção neste dia. Confira:

- Usar roupas claras, que não atraem tanta energia como as peças mais escuras (havendo excessiva carga negativa, não se é atingido com tanta violência);

- Carregar sete pedras de sal grosso no bolso ou na bolsa (eliminando assim o olho gordo que ataca excessivamente neste dia);

- Carregar uma folha de comigo-ninguém-pode;

- Usar anéis de prata e correntes de aço;

- Jamais esquecer de dizer sete vezes antes de sair de casa pela manhã: “estou imune a qualquer ação nefasta nesta sexta-feira 13”!
_____________________
Novohamburgo.org | Edição Maturéia1